Logística e transporte

Entenda os principais termos do setor e seus significados

Diversos setores trabalham com termos técnicos e específicos dentro de suas áreas e com a logística e transporte não poderia ser diferente. Para uma boa comunicação entre empresas, profissionais e clientes, sejam eles mais ou menos experientes, é de extrema importância conhecer bem esses termos.

Pensando nisso, nossa equipe selecionou alguns termos importantes e seus significados para compreender melhor o universo da logística. Eles podem ser mais simples do que você imagina.

O material está elencado em ordem alfabética e tem como fonte o Celam – Centro de Estudos Logísticos e Dicionário – Guia log.

Acompanhe abaixo os termos e siglas do dicionário da logística:

A

AD Valorem – Taxa cobrada nas operações de transporte, referente ao seguro pago para a obtenção de ressarcimento monetário, em caso de sinistro no transporte das mercadorias. É calculado pela aplicação de um percentual (%) sobre o valor do bem, originando o uso da expressão latina que significa segundo o valor. O ressarcimento contratado no Ad Valorem é restrito a devolução monetária (dinheiro) correspondente ao valor do bem, sem impostos (valor averbado). Não há compromisso implícito de devolução do bem ou produto sinistrado.

Área de Expedição – É a área demarcada nos armazéns, próxima das rampas/plataformas de carregamento, onde os materiais que serão embarcados/carregados são pré-separados e conferidos, a fim de agilizar a operação de carregamento.

Armazém ou Warehouse – Lugar coberto, onde os materiais/produtos são recebidos, classificados, estocados e expedidos.

B

Balsa – Embarcação utilizada em rios e canais para o transporte de veículos e pessoas.

Blocagem ou Block Stacking – Empilhamento simples sem uso de porta-paletes, no qual os paletes são empilhados diretamente no chão.

Bulk Container – Contêiner graneleiro, ou seja, próprio para o transporte de cargas à granel.

C

Centro de Distribuição – CD – Instalação que permite a entrada de matérias-primas, componentes ou produtos acabados, os armazena, separa e então reúne tudo para o embarque. Muitos Centros de Distribuição também possuem equipamentos especializados para manuseio e estocagem de produtos e sistemas informatizados.

Comboio – Conjunto de veículos que seguem juntos para um mesmo destino. Utilizado principalmente por motivo de segurança; carros de munições e mantimentos que acompanham forças militares; composição ferroviária (em Portugal).

Consolidação de Cargas – Consiste em criar grandes carregamentos a partir de vários outros pequenos. Resulta em economia de escala no custo dos fretes.

Contêiner – Equipamento de metal no formato de uma grande caixa, que serve para o transporte de diversos materiais, fazendo assim uma unitização de cargas, que ao estarem acondicionados no seu interior, não sofrem danos durante o percurso e nem em caso de transbordo para outros modais.

CTD – Combined Transport Document ou Documento de Transporte Combinado.

D

DANFE – Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica.

DACTE – Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico.

DDR – Dispensa de Direito de Regresso – Quando um cliente contrata serviços de transporte e possui seu próprio seguro contra sinistros com a carga, é necessário que obtenha, em sua Seguradora, o documento de Dispensa de Direito de Regresso (DDR), formalizando que a seguradora reconhecerá a transportadora contratada como preposta do tomador do serviço, tendo os mesmos direitos securitários do contratante do frete.

E

Embalagem ou Package – Envoltório apropriado, aplicado diretamente ao produto para sua proteção e preservação até o consumo/utilização final.

Empilhadeira ou Fork Lift Truck – Equipamento utilizado com a finalidade de empilhar e mover cargas em diversos ambientes.

F

FIFO – First-In, First-Out ou Primeiro que entra é o Primeiro que sai (PEPS).

Frete CIF (Cost, Insurance and Freight – Custo, Seguro e Frete) – Indica que as despesas ou serviços de transporte serão pagos pelo remetente da carga. Neste tipo de frete, o fornecedor é responsável por todos os custos e riscos com a entrega da mercadoria, incluindo o seguro marítimo ou rodoviário e frete.

Frete FOB (Free on Board – Livre a Bordo) – Indica que as despesas ou serviços de transporte serão pagos pelo destinatário da carga. Neste tipo de frete, o comprador assume todos os riscos e custos com o transporte da mercadoria, assim que ela é colocada a bordo do navio ou na transportadora.

Frete Fracionado (LTL – Less than Truck Load) – Para operações com menor volume de material, as transportadoras consolidam cargas de vários clientes em um equipamento, maximizando a ocupação do veículo. Nesta condição, utiliza-se o FRETE FRACIONADO que consiste em estipular um valor, por quilo transportado, considerando a distância, o peso das cargas e outros itens de cobrança aplicáveis neste tipo de negociação do serviço de transporte.

G

Gargalo – Fatores que configuram um estrangulamento, um impedimento a expansão ou desenvolvimento de alguma atividade econômica e entrega da mercadoria: prolemas de infra-instrutura, falta de silos para armazenamento de grãos em certas regiões,  portos e aeroportos obsoletos, falta de capacidade de armazenagem em CDs e etc.

H

Hub – Ponto central para coletar, separar e distribuir para uma determinada área ou região específica.

I

Índice de flexibilidade – representa a relação entre a média do lote de produção e a média do lote de entrega.

K

Kanban – técnica japonesa com cartões, que proporciona uma redução de estoque, otimização do fluxo de produção, redução das perdas e aumento da flexibilidade.

L

Logística Reversa ou Inversa – No mercado é considerada como o caminho que a embalagem toma após a entrega dos materiais, no sentido da reciclagem das mesmas. Nunca voltando para a origem. Muitos profissionais também utilizam esta expressão para considerar o caminho inverso feito para a entrega, voltando para a origem, só que agora somente com as embalagens. Neste caso, tratam-se de embalagens reutilizáveis ou retornáveis, que são mais caras e específicas / próprias para acondicionar determinados materiais. Ocorre muito no setor automotivo para o transporte, por exemplo de pára-choques, painéis, etc.

M

Manifesto de Carga – Documento fiscal utilizado para relacionar o conteúdo de uma unidade de carga (caminhão, carreta ou container) durante uma operação de transporte. Nele deve constar todas as NFs das cargas transportadas, não podendo existir carga não relacionada ou carga relacionada e não carregada no equipamento.

Modais – São os tipos/meios de transporte existentes. São eles: marítimo: (feito pelo mar), ferroviário (feito por ferrovias), rodoviário (feito por rodovias), hidroviário (feito em rios), dutoviário (feito pelos dutos) e aeroviário (feito de forma aérea).

N

Nível de Serviço Logístico – Refere-se especificamente à cadeia de atividades que atendem as vendas, geralmente se iniciando na recepção do pedido e terminando na entrega do produto ao cliente e, em alguns casos, continuando com serviços ou manutenção do equipamento ou outros tipos de apoio técnico. (definição de Warren Blanding).

P

PEPS – é a nomenclatura para o método de armazenagem, em que o produto que é o Primeiro a Entrar no estoque é o Primeiro a Sair ou First-In, First-Out (FIFO).

Packing List (Romaneio) – Relação de mercadorias ou volumes.

R

Rampas de escape – Utilizadas no transporte rodoviário, são dispositivos especiais, posicionados em determinados pontos das rodovias, projetados para permitir uma saída de emergência para veículos que apresentem falhas ou perdas de freios em declives íngremes, retirando-os do fluxo de tráfego e dissipando as suas energias pela aplicação de resistência ao rolamento, desaceleração gravitacional ou ambas.

Reboque ou bi-trem – É o conjunto monolítico formado pela carroceria com o conjunto de dois eixos e pelo menos quatro rodas. É engatado na carroceria do caminhão para o transporte, formando um conjunto de duas carrocerias puxadas por um só caminhão. É muito utilizado no transporte de cana de açúcar.

S

SAC ou Customer Service – Serviço de Atendimento ao Consumidor ou Cliente.

Set-up – tempo compreendido entre a paralisação de produção de uma máquina, a troca do seu ferramental e a volta de sua produção.

Shipping ou Expedição – Departamento de uma empresa que de posse da Nota Fiscal ou uma pré-Nota Fiscal identifica, separa, embala, pesa (se necessário) e carrega os materiais nos veículos de transporte.

SKU – Stock Keeping Unit ou Unidade de Manutenção de Estoque. Designa os diferentes itens de um estoque.

T

Tempo de Ressuprimento – É a somatória do Tempo de Compra, mais o Tempo de Processamento e Embarque pelo fornecedor, mais o Tempo de Transporte, mais o Tempo de Recebimento (conferência, testes, etc.) até o material ficar disponível para utilização.

TEU – Twenty Foot Equivalent Unit. Tamanho padrão de contêiner intermodal de 20 pés.

TKU – Toneladas por quilômetro útil.

TMS – Transportation Management Systems ou Sistemas de Gerenciamento de Transporte.

U

Unitização – É agregar diversos pacotes ou embalagens menores numa carga unitária maior.

V

VUC – Veículo Urbano de Carga.

X

XML – Extensible Markup Language, protocolo de comunicação.

W

WCS – Warehouse Control Systems ou Sistemas de Controle de Armazém.

Z

Zona de Livre Comércio ou Zona Franca – é uma zona (local ou região de um estado ou país) onde os produtos ou materiais são considerados isentos de taxas e tarifas de importação, com anuência das autoridades fiscais governamentais.

E aí? Conseguiu entender um pouco mais do segmento da logística e transportes?

Conhece um termo que gostaria de inserir no artigo? Mande sua sugestão para:

atendimento@gubel.com.br

Compartilhe:

Gostaria de fazer uma cotação?